4 Em Destaques/ Dicas & Truques

Tudo o que você precisa saber sobre recuperadores de esmaltes!

Assim que recebi esse produto novo da Blant – o SOS Recuperador de Esmalte – eu tive a ideia de fazer um post especial sobre esse tipo de produto. Afinal, recebo muita mensagem relacionada: “Dani, meu esmalte engrossou!” “Posso colocar acetona?” “Pode usar qualquer óleo de banana?” – visto que existem muitas dúvidas a respeito, peguei o telefone e liguei para Aires Masson, Diretor de P&D da Blant. A “aula” foi muito esclarecedora e a reproduzirei aqui para vocês para não existir mais dúvidas e saber, de fato, como recuperar um esmalte. Afinal, quem nunca pegou um vidro de esmalte e, ao passar, estava viscoço, grosso, até formando fios?! Muita gente joga fora, coloca acetona – mas depois desse post você saberá como recuperar e fazer com ele fique novinho em folha!

Entendendo a química de um esmalte

Antes de mais nada, precisamos entender como um esmalte é quimicamente. “60% da fórmula de um esmalte é de solventes. Alguns mais pesados (que demoram mais evaporar – ou seja, esmaltes que demoram a secar), outros mais leves.”começa explicando Aires. “Um bom esmalte tem toda essa química bem equilibrada: ele seca rápido, não craquela (evaporação rápida – lembram dos esmaltes craquelados? Era isso!) e fixação nas unhas”.

Encontrei esse infográfico e o traduzi para que fique bem explicadinho o que tem na química de um esmalte.

Um bom esmalte, tem sua cadeira bem formada, toda bonitinha no microscópio. Conforme o uso, a cadeia pode se deformar (fica duro, mais viscoço etc) – para que ele volte ao seu estado natural/original, ele precisa ser recondicionado. Mas como?

“Não basta colocarmos qualquer solvente lá dentro. Ele vai diluir? Sim, vai. Mas aquela cadeia natural, não irá voltar como era e sim ficará mais bagunçada ainda. Pois as propriedades do esmalte serão perdidas: ele nÃo secará, não fixará, não terá brilho.” – explica Aires. “Um bom recuperador de esmaltes não penas deixará o esmalte mais fluído. Ele fará com que o esmalte volte a ser como era antes, o transformará em novo, ou seja: secará rápido, terá brilho e fixação nas unhas”

Mas e o óleo de banana?

De todos os “óleos de banana” que encontramos no mercado, a maioria deles tem em sua composição “acetato de amila”. Mas amila não é um solvente? Questionei a Aires: “Sim. E um dos mais caros e mais fortes. Ele realmente dilui o esmalte, o deixa muito fluído, mas apenas ele, estraga o esmalte. Aquela cadeia, que era para ficar toda bonita, que é como o esmalte deve ser, fica totalmente bagunçada ao ser aplicado amila no esmalte. Ele perde todas as propriedades.”

Sabe aquela vez que você foi à manicure e ela usou um esmalte que vocês estava acostumada a usar, mas naquele dia ele ficou “estranho”? Lascou rápido, pareceu fosco, não cobriu bem? Pois então…a manicure deve ter colocado um solvente qualquer (muitas vezes até acetona!) e ter estragado o esmalte.

E o nome “óleo de banana”? Por conta do cheiro?! NÃO! Aires lembrou (e meio veio à memória rapidamente) que na década de 80/90 o que tinha no mercado, para diluir esmalte era um produto, que vinha em uma bisnaguinha, em formato de banana. Ao pedir ao comerciante, a pessoa se referia ao “óleo de banana” – e assim, o nome pegou.

Hoje em dia, “óleo de banana” se refere a um diluente de esmalte, mas precisamos prestar atenção a sua composição. Não é apenas amila, ele possui outros solventes – o que em conjunto, acabam destruindo o esmalte mesmo assim.

Álcool, amila e outros solventes que não vemos na composição do esmalte. “Não temos álcool na fórmula do esmalte. Nem acetona. Por que usaríamos isso para diluí-lo? Nada fazem ao esmalte, apenas destroem a fórmula” – completa Aires.

Atenção à fórmula

Prestar atenção aos componentes de um recuperador de esmaltes é ponto inicial. Se na composição depararmos com item que não encontramos na fórmula do esmalte, já não podemos usar.  

No SOS da Blant temos apenas dois ingredientes: acetato de butila e acetato de etila. Dois solventes comumente usados nas fórmulas dos esmaltes. Lembram? “A fórmula é bem equilibrada para que o esmalte seja recondicionado rapidamente e volte a ser o que ele era. Se usássemos apenas butila – um solvente mais pesado – ele demoraria a secar. Apenas etila, a evaporação é muito rápida, o esmalte ficaria duro, a aplicação seria complicada, pois ele secaria muito rápida. O ideal é mistura perfeita desses dois solventes para que o esmalte seja perfeito em todos os sentidos”

Eu já testei muito o SOS da Blant (eu tinha o Dilui da Impala – saiu do mercado e o Recuperador da Vefic – não acho mais) com os esmaltes que tenho aqui em casa. Com todas as marcas. E ele fez com que todos ficassem como novos. Inclusive top coats – que tendem a ficar grossos mais rapidamente. Dilui e manteve todas as características: secou rápido, brilho espelho e zero bolinhas! HUHUHU

Uso de 6 a 10 gotas. Agito bem e espero um pouco.

Os produtos da Blant podem ser encontrados online na loja virtual da marca. O SOS custa R$11,90 e dura muuito!

Então, se quiser recuperar seu esmalte, vá atrás de um recuperador que tenha elementos na fórmula que são os mesmos encontrados no esmalte. Claro, além de ter os mesmos componentes, essa fórmula precisa ser equilibrada. E como sabemos? Testando! Esse da Blant está aprovado!

Agradeço ao Aires pela aula incrível e por tirar todas as minhas dúvidas.
Espero que vocês também tenho gostado!

Um beijo,

Dani

Comments

comments

Você também poderá gostar de

4 Comentários

  • Responder
    Bia
    3 de junho de 2019 at 13:23

    Nunca gostei de usar óleo de banana, achei que só eu percebia que o esmalte nunca mais era o mesmo… Graças ao UB e outros sites de esmaltes eu descobri o finado Dilui da Impala e usava pra recuperar os esmaltes, mas como os diluentes são pouquíssimo divulgados e com preço não muito amigo (quando encontro), acho que esse é um fator pra popularizar o óleo de banana nos salões e afins. Tenho usado o Super Brilho da Impala (que parece um óleo secante) pra diluir os meus esmaltes e tem funcionado sem alterar a fórmula, mas obrigada por apresentar mais uma alternativa de diluente… Vou procurar nas lojas.
    Bjo 😘

  • Responder
    Franci Pacheco
    4 de junho de 2019 at 10:12

    esse post foi muito esclarecedor, adorei saber um pouco mais. Uso o tradicional óleo de banana mesmo, mas agora quero provar esse

  • Responder
    Priscila
    12 de junho de 2019 at 9:11

    Óleo de banana eu uso nas unhas para ajudar a remover esmaltes escuros. Até agora deu super certo e não fico com os dedos manchados. Espero encontrar esse diluidor da Blant aqui na minha cidade. Tô com vários esmaltes parados porque engrossaram.

    Obrigada pelas dicas, Dani! 😘

  • Responder
    Isadora
    25 de setembro de 2019 at 14:04

    Fui comprar um hj e nao tinha internet no meu celular justamente na hr pra eu ver o seu post….por sorte o unico que tinha na loja era esse mesmo!!! Nunca mais deixo de ler o post antes haha

  • Deixe seu comentário

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.